quinta-feira, 28 de julho de 2011

E se as pessoas falassem com gírias da internet na vida real?


Juvêncio é um rapaz antenado com tudo o que acontece na web. Quando não está dormindo ou na escola, o garoto passa o restante do dia na frente do PC. Ele costuma ocupar seu tempo jogando games, atualizando seu blog sobre manutenção de computadores ou interagindo com seus amigos nas redes sociais.

Vestibulando

O jovem acabou de prestar seu primeiro vestibular. Como todo bom nerd, ele é muito inteligente mas o problema foi na hora da redação. O exame deixou o estilo textual à escolha dos vestibulandos. Os candidatos apenas tinham que se ater ao tema: “Inclusão digital é um direito de todos”.
O grande X assinalado em sua prova acabou com as esperanças da sua entrada na universidade. Abaixo, transcrevemos um pequeno trecho da redação.
“IMHO, as techs devem ser disseminadas para que todos, indiferentemente do seu credo ou classe social, tenham acesso à internet. BTW, não adianta apenas viabilizar a compra de PCs para as camadas sociais com menor renda. Um programa de inclusão digital assim será um FAIL total. Hoje, não adianta apenas saber googlear. Os usuários precisam ser treinados e entender sobre computadores, caso contrário, os noobs serão trollados, ever”.
E esse foi apenas o primeiro parágrafo.

Entrevista de emprego

Sem perspectivas de conseguir uma vaga na faculdade, Juvêncio começou a procurar um emprego. Ao contrário das gerações anteriores, que utilizavam os jornais para encontrar uma oportunidade de trabalho, o jovem acessou alguns sites de recursos humanos e em poucas horas tinha seu currículo viralizado por centenas de empresas.
Entrevistador: Bom dia, Sr. Juvêncio. Como vai?
Juvêncio: Bom dia, tô legal. E você, big boss?
Entrevistador: Estou bem, obrigado. Nossa vaga é para a manutenção dos computadores e da rede interna do escritório. Quais são seus conhecimentos em informática? Possui alguma referência?
Juvêncio: Eu fiz um curso de manutenção de PCs, referente a essa parte tá tudo susse. Em relação à rede, eu manjo de games online. Sem me gabar, já tive algumas epicwins no SSF IV e no NFS UnderCover, dando owned por diversas vezes nos meus oponentes. No CS, sou campeão em headshots. Enfim, não se preocupe, mesmo que eu não saiba de alguma coisa, é só googlear e descobrir comofas.
Entrevistador: Hum… Eu ligo para você na semana que vem. Adeus.
Juvêncio: TNX.

Discutindo o relacionamento

Chamou a atenção da namorada pelo MSN e marcou o encontro no shopping. No local, a menina estava com uma cara “amarrada”. A primeira frase dita por ela – “Oi. Temos que conversar” – entregava a DR que viria pela frente.
Namorada: Escuta, Juvêncio, qual o seu conceito de namoro? Você me troca por aquele seu computador. Nos encontramos, no máximo, três vezes no mês. Você não me dá atenção.
Juvêncio: WTH! Que papo é esse? Eu te dou atenção, sim. Converso com você quase todos os dias, no MSN. Mesmo quando estou busy, mando um SMS ou email.
Namorada: Isso não é o bastante. Quando vou à sua casa, você não larga seus jogos idiotas.
Juvêncio: STFU. Não fale mal dos meus games. Você é uma hater, só sabe me criticar.
Namorada: Viu só, você passa tanto tempo na internet que vive pronunciando gírias nerds. Eu mal entendo o que você fala.
Juvêncio: STFW.
Namorada: Assim, não há condições de continuarmos juntos.
Juvêncio: Ok, precisamos dar um tempo. Cya.
Após esse fatídico evento, o rapaz se tornou um forever alone.

Fonte: Tecmundo
Vi no Hospital da Alma. (Site Parceiro) e estou compartilhando!!!

Humano Demais


O Amor de Deus por nós é INCONDICIONAL, difícil e extramamente complexo para entender...

Temos um Deus que não faz acepção de pessoas, que não tem interesses políticos e muito menos ver/escolhe as pessoas por seu status social....

Na verdade esse Deus tem o interesse de transformar vida, dar um novo rumo e fazer com que seus seguidores vivam uma nova história (realidade)...

Essa música é muito boa... Indicação do Amigo/Irmão Amaral Neto

quarta-feira, 27 de julho de 2011

As 5 expressões evangélicas mais sem sentido usadas nas Igrejas

5 – EXORTAR

Essa expressão é usada de modo equivocado em 100% das Igrejas. Segundo qualquer dicionário, exortar significa “animar, incentivar, estimular”. Logo, exortar o irmão que está em pecado na verdade não significa repreende-lo. Quem está vivendo no erro não precisa de um incentivo, mas de um auxílio.

4 – LEVITA
Essa morreu no Antigo Testamento. Os Levitas eram descendentes da Tribo de Levi, e eram encarregados de TODO O SERVIÇO no Templo. Mas Levita tem sido usado como sinônimo de músico. Besteira pura! Pra começar a música no serviço levítico era a menor das tarefas. A faxina, organização e carregar peso nas costas, isso sim era a parte mais importante do trabalho. Levando em conta que não somos judeus, não somos descendentes daquela tribo e também lembrando que o Templo não existe mais, então estamos dispensados do serviço levítico. Músico é músico. Ponto.



3 – PROFETA
Segundo a bíblia, profeta é aquele que revela a vontade de Deus ao povo. Simples assim. Porém tornou-se comum considerar que profeta é uma espécie de adivinho. Heresia pura! Considerando que TODA A REVELAÇÃO está em Cristo Jesus e que o conhecimento acerca desta revelação está contida nas escrituras, um profeta legítimo não deve adivinhar nada, mas proclamar de maneira compreensível as coisas que estão contidas na palavra de Deus. Por isso Paulo afirma que o dom de profetizar é o dom mais excelente. E se você ainda paga pau pra adivinhos, lembre-se que ADIVINHAÇÃO é pecado.

2 – UNÇÃO
Como dizem por aí, UNS SÃO, outros NÃO SÃO. Agora falando sério… a expressão unção virou clichê na boca de crente. É unção disso, unção daquilo… tudo sempre buscando atender ao interesse economico; ou garantindo o controle das massas sob o pretexto de que UNÇÃO É PODER. Pra começar no Novo Testamento a palavra unção só é usada no sentido de afirmar que Cristo está em nós. Logo, ter unção é ter Cristo. Em todos os outros contextos, há ensinos explícitos sobre o ato de “ungir” pessoas, que seria orar com óleo, pedindo a Deus por curas específicas. Há algum poder neste óleo? Não mesmo. Mas é bom lembrar que no contexto bíblico, óleo também era considerado remédio para muitas doenças.

1 – ATO PROFÉTICO
Essa é a campeã da lista de heresias. Se sua igreja usa essa expressão, então a teologia por aí tem sido profundamente contaminada com valores neopentecostais. Pra começar não existe a expressão “ato profético” na Bíblia. Essa expressão surgiu na verdade como uma tentativa de disfarçar o conceito de podemos fazer coisas que “movem a mão de Deus” na direção de nossos desejos. Ou seja, heresia pura.

Meu conselho é… cuidado com as expressões.
Por que as mínimas coisas podem revelar grandes besteiras.
Vão com Deus!

Ops! Como alguém poderia ir “sem Deus”, se Deus é onipresente e está em todos lugares mesmo antes de eu pensar em me mover?

Fonte: Ariovaldo Jr. (o outro)(?!?!)
Vi no Cristão Confuso

Evangélicos com mania de Chico Xavier


Por acaso você já reparou a existência de alguns evangélicos que gostam de advinhar o futuro dos outros revelando o que vai acontecer?

Pois é, tenho um pastor amigo que passou por uma situação inusitada. Ele conta que juntamente com sua esposa foram convidados para um culto doméstico na casa de um casal conhecido. Ao chegarem ao local da reunião descobriram que o "culto"seria presidido por uma "profetiza de GEZUIZ".

Bom, no tempo determinado a reunião começou, e após alguma canções, o comportamento da profeteira mudou. Para inicio de conversa ela começou a dar todo tipo de glória, falando alto, e trazendo as mais variadas revelações ao melhor estilo Chico Xavier. De repente a mulher virou-se para a esposa do meu amigo e disse: " Vaso do Senhor, veja que você está passando por um grande vento. O Espírito Santo me mostra que o seu marido é alcoólatra, mas Deus me diz que você não deve ter medo, pois brevemente seu esposo se converterá."

Há pouco soube de um pastor de uma igreja histórica que teve a revelação que as muheres que usam roupas íntimas da cor vermelha podem ficar endemoninhadas.

Caro leitor, cenas e relatos como esse se repetem em todo Brasil. Inúmeros profetas em nome de Cristo descambam a dar "revelamentos" absolutamente descabidos. Infelizmente tenho ouvido cada história que só de lembrar me faz ficar ruborizado.

Prezado amigo, vamos combinar uma coisa? Lamentavelmente algumas das liturgias evangélicas estão tão miscigenadas que um desavisado qualquer ao entrar em um de seus cultos pode pensar que entrou no centro espírita. Ouso afirmar que o sistema comportamental e doutrinário do neopentecostalismo brasileiro se deve em parte ao famigerado sincretismo religioso. O que nos leva a entender que mais do que nunca, precisamos em nosso país resgatar os valores da Reforma Protestante, retornando a Bíblia, fazendo dela a nossa única regra de fé.

Isto posto, afirmo categoricamente que em hipótese alguma experiências mágicas esquizofrênicas, como supertições inequívocas e burrificadas devem nortear o comportamento de nossas igrejas, até porque, somos e fomos chamados pelo Senhor a vivermos um cristianismo equilibrado, racional, apaixonante e apaixonado por aquele que por sua infinita graça e misericórdia nos salvou.

Como inúmeras vezes afirmei neste blog, confesso que estou absolutamente perplexo e preocupado com os rumos da igreja evangélica. Chego a conclusão de que mais do que nunca a igreja brasileira precisa URGENTEMENTE de uma nova reforma, porque caso contrário, a apostasia será inevitável.

Pense nisso!

Renato Vargens
Conferencista Internacional, escritor dos livros (Tempo de Sonhar; Quando o milagre acontece; Sua Família pode ser mais feliz; Meu filho, meu amigo; Quando a esperança ressuscita; Quarto secreto; O que fazer diante da tragédia; Começar de novo; Seja o agente transformador de sua Família; Cristianismo ao gosto do Freguês e Namoro.com). É também Diretor da Scrittura Produções, colunista e articulista de revistas, jornais e diversos sites protestantes, e Pastor Presidente da Igreja Cristã da Aliança em Niterói, RJ

quarta-feira, 20 de julho de 2011

O Dom de Sepultar Igrejas

É um assunto sensível e delicado, mas acho que devo escrever sobre ele. É o caso de pastores que acabam ficando conhecidos, não pelas novas igrejas que abriram, mas pelas igrejas que sepultaram. A mão deles, ao sair das igrejas, quase sempre foi aquela que fechou os olhos do pobre cadáver eclesiástico.

Soube que os colegas de um desses, na gozação, haviam decidido entregar-lhe “a pá de ouro”, quando finalmente se jubilou para alívio de todos... (qué malos!) Os pastores com o ministério do “esvaziamento bíblico” são um problema para suas denominações, que ficam sem saber o que fazer com eles, após terem criado problemas em praticamente todas as igrejas por onde passaram. O pior é quando um pastor desses acaba obtendo algum poder político no âmbito da denominação, o que torna ainda mais difícil achar uma solução.

E que solução haveria para os pastores que têm um histórico crônico de problemas nas igrejas por onde passaram? Acho que se deve, em primeiro lugar, dar um crédito de bona fide. Será que o problema é realmente o pastor ou os conselhos e igrejas por onde, por azar, andou pastoreando? (há, de fato, conselhos, consistórios ou mesas diretoras conhecidos por trucidarem pastores. Mas, isso é assunto de outro post...).

Descontado este crédito, fica evidente que tem gente que errou na escolha do ministério pastoral como sua missão no mundo. Talvez esse engano não foi intencional. O zelo e o ardor de servir a Deus e de viver em contato com sua Palavra e a sua obra fazem com que muitos jovens cristãos, cheios de amor ao Senhor, busquem o pastorado como a maneira prática de realizar seus sonhos espirituais. A esses, muito pouco tenho a dizer, senão que podemos ser espirituais, zelosos por Deus, amantes de Sua Palavra e de sua obra em qualquer outro lugar além do púlpito. Há cristãos zelosos e sinceros que sinceramente erraram na vocação. Há também aqueles que viram o pastorado como meio de vida, ou que ficaram fascinados pelo prestígio que o púlpito e o microfone na mão parecem conferir aos que chegam lá. O pastorado exige mais que desejos profundos de santidade e paixão pelas almas perdidas. E obviamente, nunca será eficazmente desempenhado por quem entrou por motivos baixos.

Não estou dizendo que a prova da genuinidade da vocação é o sucesso numérico, pastorados longos em um único lugar e um histórico de saídas pacíficas de diferentes igrejas. Sei que números não dizem tudo. Nem saídas pacíficas de pastorados longos. Contudo, dizem alguma coisa. O problema se agrava porque em denominações históricas se incentiva o ministério em tempo integral. O pastor, via de regra, só aprendeu a fazer aquilo mesmo: realizar atos pastorais, elaborar uma liturgia, preparar sermões e estudos bíblicos, atender gente no gabinete, visitar os enfermos e necessitados, animar os cultos de domingo, fazer a sociabilidade da igreja, e por ai vai. Se sair do pastorado, não sabe praticamente fazer mais nada. Vai acabar abrindo uma igreja para ele, como muitos fizeram. Para evitar o problema, algumas denominações incentivam pastores bi-vocacionados, isto é, que além do ministério pastoral, tenham uma profissão secular.

Pastores com o "dom" de fechar igrejas acabam se tornando um problema para todo mundo, especialmente quando eles vêm com um defeito de fábrica: a falta do “mancômetro”, um instrumento extremamente necessário para o ministério pastoral, que avisa quando está na hora de sair. Pastores sem mancômetro não conseguem perceber aquilo que todo mundo fica com receio de dizer-lhe abertamente: que de pastor mesmo, ele tem pouco ou nada. E que a melhor coisa que ele deveria fazer, era pedir para sair, e sair silenciosamente, sem fazer muito barulho.

Não posso deixar de admirar pastores que após algum tempo de ministério voluntariamente pedem para sair, ao perceber que cometeram um erro ao entrar. Conheci uns três ou quatro que fizeram isso, apesar de só me lembrar do nome de um deles. Tenho certeza que uma atitude dessas por parte de irmãos com o dom de enterrar igrejas agradaria ao Senhor. A ponto dele abrir-lhes portas para ganharem a vida de uma forma realmente digna e decente. Lembro-me da oração de meu sogro, o Rev. Francisco Leonardo, quando era reitor do Seminário Presbiteriano do Norte: “Senhor, manda para o seminário os verdadeiros vocacionados e coloca para fora os que não são”. Se mais diretores de seminários e conselhos de igrejas fizessem esse tipo de oração com mais freqüência, teríamos que entregar menos “pás de ouro” nos concílios.

Escrito por Augustus Nicodemus Lopes

É Proibido Julgar?

Ainda recentemente participei de uma discussão no Facebook com vários de meus amigos onde uma moça aborreceu-se com alguns comentários feitos a um terceiro (não por mim, garanto!) e retirou-se zangada, dizendo que Jesus havia ensinado que não se devia julgar os outros.Eu sei que existem situações em que julgar é realmente errado, mas aquela não era uma destas situações. A pessoa que estava sendo "julgada" tinha feito declarações e expressado suas opiniões e os outros simplesmente estavam avaliando e rejeitando as mesmas. A atitude da mocinha, que ficou sentida, ofendida e magoada, é infelizmente comum demais no meio evangélico moderno, onde as pessoas usam as famosas palavras de Jesus de maneira errada como argumento em favor de que devemos aceitar tudo o que os outros dizem e fazem, sem pronunciarmos qualquer juízo de valor que seja contrário.Mas, foi isto mesmo que Jesus ensinou? A passagem toda vai assim:"Não julgueis, para que não sejais julgados. Pois, com o critério com que julgardes, sereis julgados; e, com a medida com que tiverdes medido, vos medirão também.Por que vês tu o argueiro no olho de teu irmão, porém não reparas na trave que está no teu próprio?Ou como dirás a teu irmão: Deixa-me tirar o argueiro do teu olho, quando tens a trave no teu?Hipócrita! Tira primeiro a trave do teu olho e, então, verás claramente para tirar o argueiro do olho de teu irmão.
Não deis o que é santo aos cães Não deis aos cães o que é santo, nem lanceis ante os porcos as vossas pérolas, para que não as pisem com os pés e, voltando-se, vos dilacerem." (Mateus 7:1-6)

Alguns pontos ficam claros da passagem;

1) O que Jesus está proibindo é o julgamento hipócrita, que consiste em vermos os defeitos dos outros sem olharmos os nossos. O Senhor determina que primeiro nos examinemos e nos submetamos humildemente ao mesmo crivo que queremos usar para medir e avaliar o procedimento e as palavras dos outros. E que, então, removamos a trave do nosso olho, isto é, que emendemos nossos caminhos e reformemos nossa conduta.

2) Em seguida, uma vez que enxerguemos com clareza, o próprio Senhor determina que tiremos o argueiro do olho do nosso irmão. O que ele quer evitar é que alguém quase cego com um tronco de árvore no olho tente tirar um cisco no olho de outro. Mas, uma vez que estejamos enxergando claramente, após termos removido o entrave da nossa compreensão e percepção, devemos proceder à remoção do cisco do olho de outrem.

3) Jesus faz ainda uma outra determinação no versículo final da passagem (verso 6) que só pode ser obedecida se de fato julgarmos. Pois, como poderemos evitar dar nossas coisas preciosas aos cães e aos porcos sem primeiro chegarmos a uma conclusão sobre quem se enquadra nesta categoria? Visto que é evidente que Jesus se refere a pessoas que se comportam como porcos e cães, que não vêem qualquer valor no que temos de mais precioso, que são as coisas de Deus. Para que eu evite profanar as coisas de Deus preciso avaliar, analisar, examinar e decidir - ou seja, julgar - a vida, o comportamento e as declarações das pessoas ao meu redor.Fica claro, então, que o Senhor nunca proibiu que julgássemos os outros, e sim que o fizéssemos de maneira hipócrita, maldosa e arrogante. Julgar faz parte essencial da vida cristã. Somos diariamente chamados a exercer o papel de juízes movidos por amor pelas pessoas e zelo pelas coisas de Deus. Quem nunca julga contribui para que o erro se propague, para que as pessoas continuem no erro. São pessoas sem convicções. Elas se tornam coniventes e cúmplices das mentiras, heresias e atos imorais e anti-éticos dos que estão ao seu redor. Paulo disse a Timóteo, "A ninguém imponhas precipitadamente as mãos. Não te tornes cúmplice de pecados de outrem. Conserva-te a ti mesmo puro" (1Tim 5:22). Não consigo imaginar de que maneira Timóteo poderia cumprir tal orientação sem exercer julgamento sobre outros.Em resumo, julgar não é errado, cumpridas estas condições: a) que primeiro nos examinemos; b) que nos coloquemos sob o mesmo juízo e estejamos prontos para admitirmos que nós mesmos estamos sujeitos a errar, pecar e dizer bobagem; c) que nosso alvo seja ajudar os outros a acertar e consertar o que porventura fizeram ou disseram.


Escrito por Augustus Nicodemus Lopes

domingo, 10 de julho de 2011

Por Quê?


“E não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente para que experimenteis qual seja a boa, perfeita e agradável vontade de Deus.”Rm 12:2

A vontade de Deus é manifestada na vida de cada um de nós de maneiras diferentes. A minha história é diferente da sua, as minhas lutas são diferentes das suas lutas, os meus dons são diferentes dos seus... Deus é multiforme, Ele não segue uma regra ou uma fórmula. Deus é criativo e sabe exatamente o que faz. Ele faz na vida de cada um aquilo que é da vontade dele.

E quantas vezes você já se pegou questionando a vontade de Deus?

Deus, por que eu não tenho isso ou aquilo?”“Deus, por que eu não sou isso ou aquilo?”Deus, por que eu tenho que passar por isso?Freqüentemente questionamos a vontade de Deus, mas uma coisa é certa: a vontade dele é perfeita. Ainda que num primeiro momento não pareça. O desfecho da sua história deixará bem claro a perfeição da Sua vontade.

A nossa vontade é sempre aquilo que é mais fácil, mais rápido e mais vantajoso. Mas que não leva a lugar algum. A vontade de Deus muitas vezes é o caminho mais longo, mais difícil, mais sofrido, mas tem uma finalidade boa, perfeita e agradável.

Quando eu era criança, meu pai me levava pra tomar vacina e aquilo pra mim era um terror. A minha mente infantil não conseguia entender como o meu pai dizia que me amava (e eu realmente acreditava nisso) e mesmo assim me fazia sofrer. Eu não compreendia porque ele me fazia passar por aquela situação que pra mim era terrível. Eu chorava, gritava, dava birra...

Mas hoje eu entendo plenamente o propósito por trás daquela “tortura”! A vontade do meu pai parecia maldade para mim, mas na verdade era perfeita. Se ele não me tivesse feito passar por aquele sofrimento, hoje eu poderia duvidar do amor dele.

Da mesma maneira, Deus nos fará passar por situações que vamos questionar, situações sofridas, mas devemos lembrar que esse sofrimento vai nos fortalecer, aperfeiçoar o nosso caráter. O objetivo do Pai não é te fazer sofrer, é te fazer forte!

Nós vemos a vontade de Deus como um terror, damos birra, questionamos, pensamos que Deus nos esqueceu. Mas enquanto nós vemos o nosso presente, Deus vê além, Ele vê o nosso futuro. Deus vê nossa vida como um todo, nós vemos parte dela. Nós nos preocupamos com o nosso presente, enquanto Deus enxerga nossa vida como um sistema onde uma simples mudança no hoje pode curar feridas do passado, abrir portas para o futuro, ainda que deixe aflito o nosso presente. Deus tem propósitos em tudo que acontece conosco.

Chegará o momento em que você olhará para trás e verá que tudo se encaixa. Cada situação vivida coopera para um fim perfeito. E então reconhecerá que aquilo que parecia ruim não foi tão ruim assim.

Sabemos que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósitoRm 8:28Tudo que você passar pela vontade de Deus vale à pena.

Quando te der aquela vontade de olhar para o céu e gritar ‘POR QUÊ’? Lembre-se que no futuro você gritará ‘OBRIGADO’!

Fiquem com Deus!

Por Aline Lima

Uma canção (nada) clichê

Domingo. Mais um. Apenas mais um. Como todo outro domingo é. Você escolhe uma roupa bonita, e vai para o mesmo ponto de encontro de sempre. Você vai à igreja. Cumprimenta os irmãos da recepção, dá um alô para o pastor, encontra os amigos e sentam todos juntos. Começa mais uma vez, um culto.
Você já sabe de cor o que vai acontecer, quantas músicas vão tocar até o dízimo, quantas até a pregação. Sabe que vídeo especial vai passar, e quem vai pregar. Nada do que acontece ali é novo para você, exceto a cor de cabelo da mulher do pastor.

Por um lado você sabe que criou uma barreira fria e consistente de gelo em volta do seu coração, por outro, você sabe a que isso pode te levar. Começa o louvor. A mesma frase de abertura da semana passada, o mesmo ministro, os mesmos vocais, as mesmas músicas, exceto uma. E ahh, essa você sabe cantar sem colar.

“Mas ela parece estar diferente! Eu já a conheço, mas é como se a cantasse a primeira vez. Cada frase arde dentro de mim, cada palavra parece soar com mais força. Que fogo é esse que parece me incendiar, que parece derreter meu coração congelado pela mesmice religiosa? Mas, esse eu conheço. Eu já o vi. Esse ainda é o mesmo”- você pensa.

E só um refrão ecoa na igreja e arde em você:

“Espírito, Espírito, que desce como fogo. Vem como em pentecoste e enche-me denovo”.

Você percebe que ela não é uma canção clichê. Há uma mensagem nela, uma verdade, uma só realidade.

Eu saquei. Só terei garra para enfrentar esse mundo a fora, e conquistar as pessoas para o“Deus da minha vida, que me compreendeu sem nenhuma explicação”, se eu for cheio desse Espírito que tanto estou “acostumada” nas mesmices, nas rotinas de domingo. Incrível como Ele é o mesmo, o mesmo que te aceitou, o mesmo que desceu sobre você a primeira vez, e terá prazer de te encher denovo. Ele não negará o Espírito Santo a todos quanto o pedirem.

Não deixem que os anos te ceguem, que você não sinta mais a presença de Deus nos detalhes com o passar do tempo. Não morra espiritualmente. Não rejeite o Espírito que deseja descer sobre vocês todos os dias.

Antes que a indiferença e a frieza apaguem a chama que arde em seu peito, antes que a humildade ceda e o orgulho te domine, antes que seja tarde, clame, cante de coração a canção que para tantos é clichê!

Em amor,

Escrito por @CamilaZaponi

Gostei Muito e estou compartilhando. Via Juventude na Rocha

segunda-feira, 4 de julho de 2011

Por que a minha igreja não cresce?

Esta pergunta é feita por inúmeros líderes hoje. Sabemos que pessoas saudáveis crescem, animais saudáveis crescem. Árvores saudáveis crescem, plantas saudáveis crescem. Portanto, igrejas saudáveis também crescem. O crescimento é uma característica sobrenatural do processo natural que Deus promove em todas as coisas vivas. E o corpo de Cristo, tal qual a Bíblia expõe, isto é, a igreja local, é uma coisa viva e portanto deve crescer. Assim, quando uma igreja não está crescendo, é útil perguntar: "Por que não está crescendo?"

Gostaria de expor cinco entraves ou obstáculos, que restringem o crescimento de uma igreja local. Se entendermos as razões do "não-crescimento", fica muito mais fácil de diagnosticar com precisão os problemas que afetam o crescimento da igreja local.


Primeiro Obstáculo - O Pastor.
Existem três diferentes causas que inibem o crescimento da igreja por conta de um pastor, são eles:

* Um pastor que não tem uma prioridade. Igrejas crescem quando seus líderes têm uma prioridade para alcançar os que não estão em uma igreja. Quando o pastor não possui uma perspectiva evangelística e um plano de ação, a igreja não acontece.

* Um pastor que não tem uma visão. As igrejas que crescem têm pastores que acreditam que Deus quer alcançar as pessoas em sua comunidade e assimilá-las no corpo, porque eles possuem um chamado específico e uma visão de alcance colocada por Deus em seus corações.

* Um pastor que não tem conhecimento. Um trabalho duro não é o segredo para um evangelismo eficaz. O segredo é potencializar o trabalho com mais inteligência e planejamento. Infelizmente, pouco é aprendido e ensinado sobre como efetivamente alcançar e assimilar novas pessoas para a comunidade local.

Segundo Obstáculo - Os membros da igreja.
Geralmente há um clero competente e hábil em toda a igreja para mostrar como as coisas Não Devem ser feitas. Vejamos:

* Membros que não têm prioridade para alcançar os perdidos. "Claro que nossa igreja deve atingir as pessoas!". Dizem alguns: "Mas não contém comigo! Eu tenho três filhos, um emprego, a filiação no clube de saúde, e um gramado para cortar. Alguém com mais tempo deve se sentir obrigado. Não acham?" Existem membros que acreditam que a prioridade de evangelizar e recepcionar novos membros é dever do pastor.

* Membros que temem que pessoas novas vão destruir a "comunhão existente". Quando o grupo de ?velhos amigos? é a prioridade número um em uma igreja, os membros irão agir de uma forma que comunica aos recém-chegados: "Estamos muito bem com as pessoas que temos, obrigado."

Terceiro Obstáculo - Uma Mensagem Irrelevante.
Igrejas crescem quando abordam as questões e preocupações das pessoas em sua comunidade e vida social. Quando relacionam o Evangelho com estes pontos de necessidades sociais, espirituais, familiares, etc. Geralmente as igrejas "estagnadas" são aquelas vistas pelos sem igreja como tendo uma mensagem irrelevante para a vida cotidiana.

Quarto Obstáculo - Usando os métodos errados.
Usar métodos inadequados é pior do que não usar nenhum método. Precisamos tomar cuidado para não usar métodos inapropriados para o campo de colheita. Cada local possui uma caracteística diferente, assim como o agricultor deve conhecer o solo e a semente que esta sendo plantada, cada igreja deve assimilar um método adequado de trabalho para a área onde está inserida. Um método não necessariamente deve seguir o mesmo formato em diferentes regiões.

Quinto Obstáculo - Nenhum plano de assimilação.
Mais de 80% das pessoas que abandonam a igreja fazem isso no primeiro ano de sua filiação. Um novo membro não se torna automaticamente um membro ativo sem um plano intencional executado pela igreja para assimilar este novo membro em seu rol de membros demonstrando que essa comunidade está baseada no amor cristão e na comunhão espiritual.

Poderíamos enumerar várias outras razões, do por que igrejas não crescem? Mas creio que estas são as principais razões da falta de crescimento. Se atentarmos um pouco veremos que muitas igrejas esbarram nestes obstáculos para que tenham um crescimento saudável. Deus nos criou para crescer, este é o processo adequado. Qualquer obstáculo de crescimento precisa ser diagnosticado e na medida do possível removido para que o propósito de Deus alcance o seu alvo.


Escrito por Bruno dos Santos
Diretor do VidaSat Comunicações, Coordenador Geral da CIA (Coalizão das Igrejas Apostólicas) e pastor da Igreja Vida Nova em São Paulo. Escritor e Conferencista, é formado em Teologia com especializações em Novo Testamento e Liderança. Casado com Silvia Regina, é pai do Lucas, da Laís e da Ana Luiza.

Fonte: Portal Guia-me

sexta-feira, 1 de julho de 2011

Você conhece o Bingospel?

Você ainda se aborrece em cultos do estilo "sapatin de fogo"?
Revolta-se durante os sermões de prosperidade, cruzadas e cultos de reteté?

Seus problemas acabaram! Apresentamos, totalmente grátis: BINGOSPEL!

Imprima o quadro que segue e leve dentro da sua Bíblia.

Sempre que ouvir a palavra ou expressão contida numa das casas, marque-a com um (X) no local correspondente. Quando completar uma linha, coluna ou diagonal, grite “GLÓRIA A DEUS”!


Testemunho de jogadores crentes satisfeitos:
“O culto tinha começado há apenas 5 minutos quando ganhei!”;
"A minha capacidade para escutar aumentou muito desde comecei a jogar o Bingospel”;
“O culto foi tremendo: 14 irmãos esperavam pela tinquina!”;
“O pregador se admirou do avivamento ao ouvir 8 pessoas gritando “GLÓRIA A DEUS!”, pela 3ª vez em 15 minutos”;
“Agora, vou a todas as reuniões repepé da minha igreja e ainda visito outras!”

Essa eu vi no blog do Cristão Confuso
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...